quarta-feira, abril 25, 2007

Lá... naquele mar


Hoje ao ver passar as placas com o nome da tua cidade, hoje ao deixar para trás aquela terra, aquela zona, aquele mar, percebi...
Percebi que metade dos meus sonhos contigo eram lá, eram ali e eu deixei passar, só olhei, só soube olhar... Perdi-os e perdi a oportunidade.
Metade desses sonhos ficaram lá, perdidos à beira mar. A outra metade segue comigo, espalhada entre o que podia ter sido real e o coração, abandonados a um canto como um sonho que foi adiado inumeras vezes. Nesse canto onde te guardo com um letreiro gigante que pisca com o teu nome.
Metade desses sonhos nossos que recordo, sonhos inscritos nos momentos, que tenho de ti e na metade do remorço que até hoje me persegue...
Porque hoje ao ver passar as placas pensei que estavas tão perto e tão longe...


Mpalma
25/4/2007

7 comentários:

Solitária disse...

Se entendeste bem o que escrevi, só te posso dizer que percebi bem o que sentes...
Mas neste momento decidi seguir a minha vida... por isso apenas te digo que não vale a pena sofrer!!
O que tiver de ser teu será!!
ღBeijinhosღ

Sensualidade Caliente disse...

Quero sentir tuas águas em meu corpo,
quero me perder no azul de teu infinito,
ser massageado por tua alva espuma,
e de tuas ondas poder abusar.



Quero mergulhar em teu seio,
sentir o salgado de teu gosto,
e em ti me livrar de minhas amarras,
desprender-me de minha dor.



Quero me perder em teu mar,
quero de teu corpo tirar o gosto de meu prazer,
quero as carícias de tuas mãos a me tocar,
quero em teu amor viver.



Perdido, quero teu amor bandido.
Meu prazer reside no mais profundo de teu ser.
Com teus toques quero ser todo sentido.
E no teu amor quero eternamente me perder.


Boa Sorte, procura a tua vida e vai a luta

o alquimista disse...

No sublime te li...

Beijinho

Denise disse...

Normalmente sonhos nunca passam disso. Sonhos!*

Patrícia disse...

E é por isso que, ainda que eu não seja o exemplo mais perfeito disso, defendo que nada deve deixar de ser feito apenas porque o medo, ou seja o que for, teima em tentar falar mais alto que a própria vontade. Porque se não arriscarmos, corremos sim o risco de viver eternamente no "e se...?".

Há uma frase muito popular na qual eu acredito muito: vale mais arrependermo-nos do que fazemos do que do que não fazemos.

Como já disse, não que seja algo que eu siga muito à risca. =$ :D


Um beijinho * em si.

disse...

Antes de mais parabéns pelo blog!
Continue com o bom trabalho!
Convido-o agora a visitar:

http://aguia-de-ouro.blogspot.com/

Futebol e política num só!
Obrigado!

13a... Radha disse...

bonito