segunda-feira, novembro 06, 2006

Abraça-me


Abraça-me antes de dizeres qualquer coisa. Qualquer que seja.
Não estragues este momento de paz. Não estragues este nosso momento que sei que apenas durará uns minutos.

Abraça-me e saberei que me amas apesar de tudo, apesar do que te possa dizer a seguir. Aperta-me com força, com tanta força que nos tornaremos um só. Com tamanha força que o teu perfume será o meu e não existirá mais o teu corpo e depois o meu, mas sim o nosso. Beija-me e diz-me tudo o que nunca me disseste. Como se fosse a ultima vez que nos víssemos, como se o mundo e tudo acabasse agora.
E diz-me… Diz-me mais uma vez. A ultima vez que me amas. Olha-me nos olhos e diz-me que já nada sentes, que já nada queres de mim. E sorri e chora depois. Quero ver-te hoje como nunca te vi. E quero que nada digas, que apenas sintas como eu sinto. Que me leias a alma. Que esqueças tudo e apagues todas as pessoas antes de mim e depois de mim também.

E deixa-me dizer-te amor, que apesar de tudo acabar um dia, serás sempre o meu tudo e o meu nada. E o meu amor também.


Mpalma
27/10/2006

1 comentário:

Penélope, a Janela disse...

um abraço contém sempre tanta coisa... tu fizeste questão de nos provar justo isso. e bem!