domingo, outubro 08, 2006

Inventar


4 da manhã. Um calor imenso. Um céu cheio de estrelas e uma lua do tamanho do mundo, redonda, cheia.
Não se ouvia nada. Nem carros, nem pássaros, nem pessoas, nem música. Absolutamente nada.
As ruas estavam desertas. Parecia que o mundo tinha parado e ninguém a tinha avisado. Andou, andou, andou... Sentou-se naquele banco perto do jardim e ficou ali a ver se alguém passava. Mas nada.. nem alma.
Adormeceu.
Acordou com o barulho ensudecedor de carros, pássaros, cães que ladravam, passos apresandos de pessoas, conversas paralelas. Abriu os olhos e sentou-se na esperança de alguém a ver, de alguém lhe falar.
Todos continuaram na sua vida, ninguem lhe falou, ninguem lhe olhou. Tentou por-se no meio da rua a ver se algum carro parava. Insólito! Os carros fitavam-na, passavam-lhe ao lado, as pessoas desviavam-se do seu caminho.
Não tinha ninguem com quem falar nem sitio onde se abrigar. Não tinha nada, apenas a solidão enraizada no seu coração, na pele, no cheiro na alma!
Voltou para casa. Inventou uma vida, um grupo de amigos, um sorriso, uma voz e tentou ser alguém. Inventou uma história, um namorado...
Nada resultou... Continuava a ser ignorada, a ser fitada pelas pessoas. E por isso todos os dias que acordava inventava uma pessoa diferente, um riso diferente, um namorado diferente. Inventava tudo menos amigos diferentes, porque nunca os tinha tido, não sabia como deveriam ser.
E inventado tudo, curiosamente tudo foi mais facil...




Foto daqui

3 comentários:

Hip disse...

L i n d o ! :)

Giroflé flé flá disse...

;)

Allex disse...

ja tive uma situação parecida com essa, nao tanto a questao de inventar, mas akela de adormecer no vazio e acordar no caos.Não, Nao estava bebado...
Foi no aeroporto de Lisboa, so tinha voo as 8 e o autocarro mais proximo dessa hora para la chegava la as 2h da manha.
O aeroporto estava vazio, apenas pontualment alguem passava naqueles carrinhos de limpar o chao...
Adormece estendido la nos bancos.
Ouvi barulho... Acordei... Espreitei so um olho. Era o caos! So gente apressada a andar em passo acelarado para todos os lados, alguns corriam, outros vinham carregados de malas, quase todos de fato executivo, prontos para uma qualquer reuniao de negocios.
E eu ali, com a minha roupa das viagens (calças dos bolsos de lado e casaco de malha polar) despenteado, ainda so com um olho aberto a pensar se estaria acordado ou se ainda estava a dormir.
Primeira reação, ver se nao tinha sido assaltado...
Segunda reacção, ver as horas e se nao tinha perdido o voo.
Terceira reacção, correr para o check in...
Heii, se nao os podes vencer, junta-te a eles :p